terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

UM POUCO DE CULTURA | Dickens: Bicentenário do Nascimento de uma Obra

Solange Cosme (sapato nº39) (www.expresso.pt)
Sábado, 21 de janeiro de 2012


Charles John Huffam Dickens é considerado um dos mais populares romancistas britânicos da época Vitoriana e o Reino Unido comemora este ano os 200 anos do seu nascimento. No site http://www.dickens2012.org poderá aceder a uma panóplia de eventos que se encaixam nesta celebração, tanto no Reino Unido como no resto do mundo. Eventos literários, mas também cinematográficos, teatrais e exposições farão as delícias dos fãs de Dickens um pouco por toda a parte, mas em especial na Inglaterra.
Mas se Charles Dickens nos deixou um legado literário onde se incluem clássicos títulos como "Oliver Twist", ou "A Christmas Carol", não é menos verdade que a introdução da crítica social na literatura de ficção inglesa foi a sua maior façanha. Um homem que vivia no seu tempo, Dickens atravessou um importante período na história britânica que acompanhou a passagem de uma Inglaterra industrializada para uma era de puro capitalismo, com a expansão do império Britânico e um progresso social e político na esfera da vida inglesa.

É neste contexto que a literatura de Dickens encontra um terreno fértil, juntamente com a ascensão da burguesia e o declínio operário, para a proliferação de personagens trágico-cómicas altamente complexas e que se tornaram memoráveis na literatura e na sociedade inglesa.

Tendo como principal público a população anglófona (na altura a mais alfabetizada do mundo) Dickens consegue o equilíbrio perfeito entre a crítica social, abordando temas polémicos como o trabalho e o abandono infantil, mas manter-se - ao mesmo tempo - à parte de uma conotação comunista ou mesmo revolucionária, conseguindo usufruir do lado excitante da vida.

Amante da globalização e da circulação de bens e serviços aponta, contraditoriamente, a acumulação de bens como um dos malefícios do capitalismo empurrando personagens para vidas arruinadas pela expectativa de um conforto materialista, especialmente na ausência de um conforto emocional.

Dickens morreu a 8 de Junho de 1820 de ataque cardíaco e deixou um extenso legado de extraordinárias histórias onde se contam uma vintena de romances.

A vida e as obras de Charles Dickens são tão fascinantes, e tão extensas, que o seu resumo seria impossível neste texto. Deixo-vos o convite a visitar Londres no próximo mês e a assistir de perto às comemorações do bicentenário do nascimento de Dickens. Em alternativa, numa forma low cost mas não menos atrativa, a revisitar a obra literária que vos fará certamente viajar por personagens perfeitas e imperfeitas, mas sempre complexas e profundas como o resto da humanidade.


Fonte: EXPRESSO - A Vida de Saltos Altos: http://aeiou.expresso.pt/dickens-bicentenario-do-nascimento-de-uma-obra=f700565#ixzz1lYCs3vd0 

*Links para Wikipédia adicionados pela dona do blog para associações no post.

2 comentários:

Rafael Dorr disse...

Excelente texto

Michele B. disse...

oi Ana
adorei seu blog, estou te seguindo.
me segue tambem

http://lostgirlygirl.blogspot.com.br/
bjos

Postar um comentário

Já comentou? Não? Então comente!!
Você alegra o meu dia quando deixa um comentário para mim! =)
E não esqueça de deixar o link do seu blog!